Saturday, June 11, 2005

Libação

Para Ana Luiza Noronha Lima, uma certa loulou de boulevard

Com uma doce e sumarenta lima
misturada à beleza de Noronha,
nasceu uma saborosa fruta inconha:
a menina que o soneto sublima.

De um lume sem par na natureza,
de presença brilhante qual luzerna,
é, decerto, o deleite da caserna
quando passa marchando, essa princesa.

Tem requinte de mais de cem mil gueixas,
aroma delicioso de lírio.
Se apenas desfralda suas madeixas,

é capaz de nos levar ao delírio.
Se a sorte nos brinda com uma trança,
somos lulu num colo de criança.

2 Comments:

At 10:02 PM, Anonymous scila said...

Eita, você eh mesmo um poeta e tanto o.o!!!!Mas quanto poema pra menina ^^, hehehe, até a caracteristica de galanteador você tem, não tó dizendo, tem tudo pra ser um poeta e tanto, bem q você já é!!!!
bjus ;***

 
At 11:51 AM, Anonymous ana luiza said...

como musa inspiradora, eu digo: "muito lindo" hauhaua. Tô brincando, tá muito lindo sim, mas você sabe que eu digo de coração, né? Você é meu vate preferido, além de, é claro, meu acessor para assuntos aleatórios. Os "notórios saberes", eu nem comento! Enfim, mutio obrigada pelo soneto. "Que horrível lugar-comum"... "você é um amor!!!" ;************

 

Post a Comment

<< Home